assembleia unificiada

PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

 

 

Uma capa em preto e branco, três fotos, um texto de nove linhas e a chamada: “O amor nos tempos de Feliciano”. O Correio Braziliense circula nesta quinta-feira, 4, com a manchete que propõe a reflexão e sugere que o debate sobre relacionamentos homoafetivos não pode ser adiado. Em contato com o Comunique-se, o editor de arte do veículo, Amaro Junior, ressalta que a capa é resultado de um esforço coletivo de toda a equipe e afirma que jornais não podem ignorar o que tem repercussão nas redes sociais.

“Fizemos uma releitura de uma imagem que circulou nas redes sociais. O papel do jornalismo hoje é dialogar com as redes sociais. O impresso tem esse papel de hibridismo. Mesmo trabalhando no impresso, o jornalista tem que estar antenado no que acontece no mundo virtual”, avalia Junior. A imagem de capa usa como base as fotos divulgadas pela cantora Daniela Mercury via Instagram nessa quarta, 3. 

 

Desta forma, a capa do Correio Braziliense traz Daniela com a namorada, a jornalista Malu Verçosa. Abaixo, aparece a imagem de Yasmin Brunet dando um selinho em Antonia Morais, filhas respectivamente de Luiza Brunet e Glória Pires. O retrato foi tirado em protesto contra o deputado e presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, Marco Feliciano (PSC-SP). Da mesma maneira, a atriz Fernanda Montenegro beijou a também atriz Camilla Amado em ação contra o parlamentar.  

 

“O próprio título fala por si só. Os tempos mudaram, existe uma realidade hoje que está nas redes, nas ruas, a gente não pode fechar os olhos para uma realidade que existe. Essa polêmica do Feliciano abre uma discussão na sociedade para os valores”, argumenta Junior. Ele conta que a arte e a decisão de publicar o jornal foi tomada por sete pessoas. Além dele, participaram do trabalho Varilandes Junior (diagramador), Gilberto Alves (subeditor de fotografia), Marcelo Agner (editor executivo), Plácido Fernandes (editor executivo), Carlos Alexandre (editor executivo) e Ana Dubeux (editora-chefe).

 

No processo, duas capas foram feitas e, em reunião, a equipe escolheu a que considerou ser a melhor opção. “A gente discute as possíveis repercussões, tentamos não tomar partido. A ideia não é só a imagem, é criar um conceito para a notícia. A preocupação é sempre com o fato”, conta o editor de arte.

 

A capa leva a duas matérias. Assinada pelas repórteres Adriana Caitano e Amanda Almeida, a reportagem “Do lado de fora da comissão, beijo público se torna reação contra pastor” mostra os protestos feitos contra Feliciano e a alternativa de usar o beijo como forma de resistência. Por sua vez, o jornalista Diego Ponce de Leon escreveu a matéria “O amor de Julieta (e Julieta)”, título que faz referência à música ‘Rapunzel’ de Daniela Mercury. O conteúdo fala sobre o relacionamento homoafetivo da cantora anunciado na quarta.

Portal Comunique-se

 

 

 

Receber notícias

PRORROGADA a campanha de sindicalização 2020! Atendimento jurídico exclusivo, descontos nas carteiras nacional e in… https://t.co/JWZ0YSsHz8
9hreplyretweetfavorite
Sindicato realiza NOVA REUNIÃO com a CNN para discutir problemas. -> Cobramos a regularização dos repórteres cinema… https://t.co/1qKG1rhmyL

Acesse o Site