PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

A Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira-Rio) promove, no dia 7 de maio, um debate para marcar a abertura das inscrições ao 3º Prêmio Abdias Nascimento de Jornalismo. Acompanhe, também, informações relativas ao debate que o Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais promove no dia 13 de maio, relativo à cobertura da Copa do Mundo, e sobre prêmios com inscrições abertas.
O debate de lançamento do 3º Prêmio Abdias Nascimento será às 9h30 do dia 7 de maio, na sede do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro. No lançamento do Prêmio, quando também será lançado o catálogo da edição 2012, a coordenadora da iniciativa, Sandra Martins anunciará o recebimento de inscrições somente pela internet, até 31 de julho de 2013 e as metas desta edição. “A cobertura de temas relacionados à população negra e ao racismo no Brasil continua sendo um desafio. Facilitando as inscrições, nossa ideia é derrubar pelo menos uma barreira para a participação dos jornalistas”, declarou.
Confirmado para o debate, o coordenador do Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa (Iesp/Uerj), João Feres Júnior falará sobre a cobertura de ações afirmativas pela imprensa. Durante 2001 e 2009, ele analisou a Revista Veja e os jornais Folha de S. Paulo e O Globo. Feres concluiu, entre outras coisas, que os meios de comunicação têm abordagens diferentes, mas “há um viés de editorialização em todos, tanto do pondo de vista do conteúdo, quanto da apresentação do tema em si”.
A mesa terá também o cineasta Joel Zito Araújo, que lançará o trailer do seu novo filme “Raça”, com previsão de estreia nacional ainda em maio. Estudioso da presença do negro/a na televisão brasileira, Zito constatou que os negros/as não estão nas bancadas de programas de TV. A cultura negra, a história e mesmo o racismo no Brasil, segundo ele, também passam ao largo da programação.
Quem fará a mediação do debate é a jornalista da TV Brasil Luciana Barreto. Vencedora da categoria televisão em 2012, ela também falará sobre os desafios da profissão, especialmente para as jornalistas negras.
Criado para valorizar a produção jornalística que torne visível o racismo como fator estrutural das desigualdades socioeconômicas no país, o Prêmio simboliza a busca por um jornalismo plural. Este ano distribuirá R$ 35 mil em sete categorias: Mídia impressa, Televisão, Rádio, Internet, Mídia Alternativa/Comunitária, Fotografia e Categoria Especial de Gênero Jornalista Antonieta de Barros.
O Prêmio Jornalista Abdias Nascimento é realizado pela Cojira-Rio. Conta com apoio das Cojiras de Alagoas, do Distrito Federal, de São Paulo e da Paraíba, além do Núcleo de Jornalistas Afro-Brasileiros e da Diretoria de Relações de Gênero e Promoção da Igualdade Racial dos Sindicatos do Rio Grande do Sul e da Bahia. As entidades integram a Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Étnico-racial (Conajira), da Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ).

Matéria publicada pela FENAJ

#Convite Na pauta, planejamento de ações, 8 de março e parceria com as universidades. https://t.co/io3e274z16
Na mídia | FENAJ reitera defesa do exercício profissional após declarações do presidente Bolsonaro https://t.co/9NMoN8UBIn via @FENAJ

Receber notícias

Acesse o Site