PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

Tem início nesta terça-feira a terceira consulta às redações da Campanha Salarial 2016. Ela foi aprovada em assembleia realizada nessa segunda (8/8) e irá apreciar a última oferta patronal e a contraproposta elaboada pelos presentes na assembleia. A novidade é que a consulta traz também um levantamento de expectativas para subsidiar a atuação da diretoria do SJPDF na mesa, com cenários e listagem de prioridades.

A nova redação da pauta das empresas vai além apenas no piso, que saiu de 5% para 5,5%. A outra mudança foi a retomada dos parâmetros de compensação de horas-extras ao patamar da atual Convenção. Na versão anterior da pauta patronal estava prevista a ampliação do número de horas-extras a serem compensadas e o prazo. No restante, a proposta das empresas segue a mesma (veja mais abaixo).

Proposta laboral

A contraproposta aprovada na assembleia dessa segunda prevê reajuste de 11,33% (resultado do índice da inflação calculado com base no INPC, de 9,91% mais 1,42% de recuperação de perdas do ano passado). O piso foi ajustado para o valor de R$ 2.500, que corresponde à correção inflacionária do período. Na Participação nos Lucros e Resultados (também conhecida como abono), foram alterados o teto para R$ 2.800 e o piso para R$ 2.300. Foi atualizada também a reivindicação relativa ao auxílio-alimentação para que seja garantido apenas o mínimo de R$ 19 por dia, sem reajuste para quem recebe acima. No caso da licença-paternidade, foi ajustado o pleito de 30 para 20 dias, hoje o já garantido no caso das empresas que aderem ao programa específico sobre o tema.

Levantamento de expectativas

Uma novidade desta consulta é o levantamento de expectativas. Eles surgiu do debate da última mesa de negociação, realizada no dia 3/8. A ideia é avaliar cenários com a categoria para subsidiar a tentativa de avançar no acordo já que a negociação encontra-se em um impasse. O levantamento vai analisar três possibilidades:
1) Se os trabalhadores aceitariam fechar o acordo se fosse oferecida a reposição inflacionária;
2) Se os trabalhadores identificam alguma(s) cláusula(s) social que justificaria o fechamento do acordo aceitando o reajuste salarial de 5% e a Participação nos Lucros e Resultados pela metade (teto de R$ 1.350 e piso de R$ 900);
3) A priorização de quais cláusulas são mais importante para o fechamento do acordo;

Nenhum desses itens se constituirá em proposta oficial a ser levada à mesa. A contraproposta que será levada, se aprovada, é a elaborada em assembleia e objeto de votação na consulta. Mas essas respostas são importantes para um diagnóstico das preferências e disposições da categoria.

Na consulta, os diretores irão também levar materiais de divulgação para incentivar uma maior mobilização da categoria. A expectativa é que somente a pressão e o envolvimento dos jornalistas possa ajudar a mudar o quadro da negociação.

Veja abaixo a cédula de votação:

Cedula 0908