Notícias
Publicado em Terça, 03 Outubro 2017 18:06
PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

O coletivo Jornalistas Contra o Assédio começou a campanha #JuntosContraoMachismo, que pretende mobilizar os homens no combate a atitudes constrangedoras que as jornalistas ainda enfrentam no exercício da profissão. A ação teve início na terça-feira, 26, e tem como pano de fundo o caso da crônica “A Estagiária” publicada pelo jornal Correio Braziliense, assinada pelo jornalista Guilherme Goulart.

O texto em questão romantizou o assédio a estagiárias no ambiente de redação. Após a publicação do conteúdo, o coletivo recebeu relatos de funcionárias e ex-funcionárias do jornal brasiliense, afirmando que a crônica não representava exatamente uma exceção.

Segundo os responsáveis pela campanha, o fato denunciado incomodou não só as mulheres, mas também os jornalistas homens “que não querem ter sua imagem atrelada a uma prática tão antiquada”. Assim, o movimento convida colegas para a luta do Jornalistas Contra o Assédio que começou há mais de um ano, justamente a partir de um caso de assédio contra uma estagiária. Na época, a profissional foi demitida do portal IG após denunciar um cantor de funk à polícia.

“Nossa ideia, agora, é apresentar que a luta contra o assédio é, antes de tudo, uma luta contra o machismo”, informa o coletivo. Para começar a campanha, a primeira ação foi um tuitaço que começou na quarta-feira, 27, utilizando a hashtag #JuntosContraoMachismo.

A campanha vai até domingo, 8, com a publicação de série de seis vídeos, que trazem depoimentos de colegas jornalistas sobre frases de assédio ouvidas dentro e fora de redações e assessorias, públicas e privadas, por mulheres jornalistas.

Apoio dos colegas de imprensa

Para iniciar a campanha, o coletivo perguntou em grupo de mais de 5 mil jornalistas, que tipo de assédio as integrantes já tinham sofrido dentro e fora das redações, bem como nas assessorias de imprensa. “Recebemos mais de duzentas frases. Desde frases mais chocantes até outras mais corriqueiras, tão naturalizadas em ambientes machistas”, dizem as responsáveis pelo material.

Os resultados foram entregues para algumas personalidades da imprensa comentarem. Assim, surgiu a série de seis vídeos com pelo menos quatro depoimentos gravados. Cada jornalista repetiu a frase ouvida pelas colaboradoras e registrou o que pensa disso. “É um convite à reflexão e, sobretudo, à ação”, diz o coletivo.

Entre os participantes da campanha #JuntosContraoMachismo estão nomes como Chico Pinheiro, Juca Kfouri, Fernando Rodrigues, Felipe Andreolli, Cazé, Mário Marra, Fábio Diamante, Marcus Piangers, Matheus Pichonelli, Abel Neto, Guilherme Balza, Cauê Fabiano, Nilson Xavier, Thiago Maranhão, Leonardo Leomil, Guilherme Zwetsch, Ricardo Gouveia, Fernando Andrade, Márcio Porto, Thiago Uberreich, Tiago Muniz, Rafael Colombo, Philipe Guedes, Chico Prado, Reinaldo Gottino e Haisem Abaki. 

Confira todos os vídeos na página do Facebook

https://www.facebook.com/jornalistascontraoassedio/

Fonte: Portal Comunique-se

DIAP lança cartilha com perguntas e respostas sobre a Reforma Trabalhista. https://t.co/zpmgKaXj7v https://t.co/1WeCBubmpB
3hreplyretweetfavorite
Já se inscreveu no curso sobre Lei de Acesso à Informação? https://t.co/h7VyYYGmHy https://t.co/cgbYabbLJ5
6hreplyretweetfavorite

Receber notícias

Acesse o Site