banner sindi 55

PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

A circulação impressa dos 11 principais jornais diários do Brasil segue em declínio. De acordo com informações do portal Poder 360, a partir de dados levantados junto ao Instituto Verificador de Circulação (IVC), a tiragem média diária foi de 736,3 mil exemplares em dezembro de 2017. O valor representa uma redução de 146,9 mil exemplares em relação ao mesmo período em 2016. Se comparado a dezembro de 2014, a queda é ainda mais acentuada, de 41,4%, ou 519,9 mil impressos a menos.

O levantamento do IVC considerou os jornais O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e Valor Econômico (SP), O Globo (RJ), Estado de Minas e Super Notícia (MG), Zero Hora (RS), Correio Braziliense (DF), A Tarde (BA) e O Povo (CE), além da Gazeta do Povo (PR), que extinguiu sua versão impressa diária em 2017.

De acordo com o ranking, o jornal de maior tiragem no país, o Super Notícia, com uma média de 156,5 mil exemplares diários no final de 2017, perdeu mais de 127,5 mil unidades desde dezembro de 2014.


Outro que reduziu significativamente seu volume em circulação foi a Folha de S.Paulo, que caiu para 121 mil exemplares diários, uma perda de 90,9 mil unidades. Seu principal concorrente, O Estado de S. Paulo, tirou de circulação 48,7 mil jornais desde 2014, fechando com 114,5 mil impressos por dia em 2017. 


A circulação média diária de O Globo foi de 130,4 mil exemplares diários no ano passado, uma queda de 74,3 mil em relação a 2014. Já o Zero Hora perdeu 63,3 mil unidades no período e encerrou o último ano com uma tiragem diária de 100,9 mil exemplares.


Versões digitais

Quando se leva em conta as assinaturas digitais pagas dos nove grandes jornais brasileiros (os dados não incluem a Gazeta do Povo e O Povo), o crescimento médio foi de 5,8% - ou 31,7 mil assinantes online.

A Folha de S.Paulo lidera esse ranking com 164,3 mil assinaturas digitais pagas, mas ganhou somente 5,2 mil novos assinantes nos últimos três anos. No mesmo período, o número de assinaturas online de O Estado de S. Paulo subiu de 74,1 mil para 88,7 mil.

Quem mais cresceu em volume de assinantes digitais foi o Zero Hora, que saltou de 37,7 mil para 80,1 mil no último triênio. Já O Globo, que fechou o ano com 112,9 mil assinaturas online pagas, perdeu mais de 35,4 mil assinantes nesta plataforma.


Para efeito comparativo, dados da Forbes apontam que o The New York Times somava mais de 2,3 milhões de assinantes digitais pagos em setembro de 2017, sendo o líder nesse mercado entre os jornais de grande circulação nacional nos Estados Unidos. The Wall Street Journal e o Washington Post, com respectivos 1,27 milhão e 1 milhão de assinaturas, vinham na sequência. Na esfera regional, o Los Angeles Times possuía 105 mil assinantes online pagos, enquanto que The Boston Globe detinha 90 mil.


Já na Europa, o caso mais bem sucedido é o do jornal britânico Financial Times, que ultrapassou a marca de 700 mil assinaturas digitais pagas em novembro do ano passado. Outros destaques são o alemão Bild, com cerca de 330 mil assinantes digitais, e o francês Mediapart, com mais de 130 mil assinaturas digitais.

Fonte: Portal Imprensa

 

O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal foi ouvido durante o processo de investigação do MPT sobre o assédi… https://t.co/8JNFhwOWY8
12hreplyretweetfavorite
Participe da assembleia! Será neste sábado, às 14h, na sede do Sindicato. Momento importante para avaliar os impact… https://t.co/LF93wzXn6J
17hreplyretweetfavorite

Receber notícias

Acesse o Site