PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

 

No dia 29 de novembro (quinta-feira), o Coletivo de Mulheres Jornalistas do Distrito Federal irá lançar a campanha “Assédio Sexual não faz parte do trabalho. Denuncie!”. A campanha tem por objetivo conscientizar sobre as diferentes situações de assédio sexual vivenciadas pelas jornalistas no exercício de sua profissão e orientar as profissionais sobre como se defender e denunciar os casos. O lançamento será feito durante um debate no Auditório do Sindicato dos Jornalistas do DF, na quinta (29), a partir das 19h30.

 

Durante muitos anos, diferentes tipos de assédios foram naturalizados como algo da nossa profissão. Desde a cantada do colega, a mão no ombro, a olhada ou comentário sobre decote vindo do chefe, até o convite para jantar com um entrevistado ou mesmo agressões mais sérias vêm sendo toleradas pelas jornalistas que têm medo de perder o emprego, perder a fonte, ou que mesmo já naturalizaram algumas violências, como algo que ‘faz parte’ do trabalho”, diz Renata Maffezoli, coordenadora do SJPDF e integrante do Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF.

 

Renata diz ainda que a campanha pretende dialogar também com os jornalistas nos espaços de trabalho, que muitas vezes naturalizam o assédio, fruto do machismo histórico da sociedade. “Muitos colegas acham que é ‘frescura’ quando uma mulher reclama da situação, ou acreditam ainda podem fazer uso da sua situação de poder para cantar uma profissional. Cantada em espaço ambiente de trabalho, tocar a colega ou constrange-la não é natural. É assédio e precisamos conscientizar as pessoas para combater essa prática”, acrescenta.

 

A campanha será lançada no dia 29 de novembro com peças que serão divulgadas nas redes sociais, uma cartilha digital com orientações às jornalistas e também materiais que serão distribuídos nos espaços de trabalho. “A data foi definida como parte das atividades para marcar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher. E também integrar os 16 dias ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, explica Raisa Pina, jornalista integrante do Coletivo.

 

Raisa conta que o lançamento será feito durante um debate com a presença de diferentes profissionais que abordarão o assédio sexual no trabalho e como combatê-lo. “Pensamos em uma atividade que conte com a presença de uma psicóloga, uma advogada e uma ativista para que possamos refletir sobre o assédio sexual a partir de diferentes aspectos e também municiar as jornalistas sobre como enfrentar essa violência em seus espaços de trabalho”, detalha.

 

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma mobilização anual, praticada simultaneamente por diversos atores da sociedade civil e poder público engajados nesse enfrentamento. Desde sua primeira edição, em 1991, já conquistou a adesão de cerca de 160 países. Mundialmente, a Campanha se inicia em 25 de novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos, passando pelo 6 de dezembro, que é o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

 

Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF

O Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF surgiu em 201, com o objetivo de debater as questões específicas acerca das condições de trabalho das mulheres jornalistas também de incidir na luta contra o machismo, o sexismo, a desigualdade e todas as formas de opressão na sociedade. Reúne jornalistas de diferentes áreas de atuação, e é aberto à participação de todas as profissionais interessadas.

 

Nascemos como um coletivo classista, feminista, anticapitalista, antirracista e anti-LGBTfóbico, que busca dialogar com as questões da nossa categoria, mas também se inserir na luta mais ampla como a construção das manifestações do 8 de março, a luta pela descriminalização do aborto, momentos em que estivemos presentes nas ruas, ao lado de mulheres trabalhadoras de outras categorias”, explica Leonor Costa, coordenadora do SJPDF e também integrante do Coletivo.

 

Para participar, é só acompanhar a agenda de reuniões e atividades que são divulgadas tanto no blog do Coletivo (mulheresjornalistasdf.org) e na página do facebook, quanto nas redes do Sindicato dos Jornalistas do DF.

Confirme presença no evento:  https://www.facebook.com/events/1852110718219613/


Serviço:

Debate e lançamento da Campanha “Assédio Sexual não faz parte do trabalho. Denuncie!”

Dia: 29 de novembro (quinta)

Horário: a partir das 19h30

Local: Auditório do Sindicato dos Jornalistas do DF. SIG, quadra 2, lote 420, Ed, City Office.

Nesta quinta, 13/12, completamos 50 anos do AI-5. Para marcar esta data, o Sindicato dos Jornalistas do DF realiza… https://t.co/i5SoJ5x7Ac
2hreplyretweetfavorite
A categoria irá protestar contra o descaso da direção da EBC, que desde 23/11 protela uma resposta sobre a contrapr… https://t.co/tuANqBYQxi
18hreplyretweetfavorite

Receber notícias

Acesse o Site