PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

O Sindicato do Jornalistas Profissionais do DF se solidariza com os/as cerca de 200 colegas que atuam na TV Escola em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro por meio de contrato de gestão com Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp). Nesta sexta-feira (13/12), o Ministério da Educação anunciou o cancelamento do contrato com a Acerp e também determinou a retirada das estações de trabalho localizadas no prédio do órgão em Brasília.

Mais uma vez o governo federal mostra sua forma autoritária de lidar com a comunicação, a educação e a cultura. Criada há 23 anos, a TV Escola é um canal de cunho público e educativo, voltado para a capacitação e a atualização permanente dos professores. No início do mês, a emissora teve que veicular em sua programação a série Brasil: A Última Cruzada, com a participação do escritor Olavo de Carvalho. A série distorce os acontecimentos em torno da ditadura no Brasil e defende a atuação dos militares, apesar das evidências históricas de atrocidades cometidas nesse período.

O encerramento do contrato com a Acerp, sem que nenhum outro projeto de gestão tenha sido apresentado e discutido com a sociedade, comprova a existência de um projeto ideológico para sufocar os espaços de reflexão no país. Nos colocamos à disposição dos/as colegas para as medidas judiciais cabíveis, no sentido de garantir os direitos trabalhistas, e renovamos nossa disposição em seguir na luta pela democracia, contrários às ações do governo de desmonte da comunicação educativa e pública.

Na mídia | FENAJ reitera defesa do exercício profissional após declarações do presidente Bolsonaro https://t.co/9NMoN8UBIn via @FENAJ
21hreplyretweetfavorite
RT @RodrigoMaia: A denúncia contra o jornalista @ggreenwald é uma ameaça à liberdade de imprensa. Jornalismo não é crime. Sem jornalismo li…

Receber notícias

Acesse o Site