PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

07 DE ABRIL DE 2021, DIA DO JORNALISTA

NOTA


Hoje é o Dia da/o Jornalista. Muito se diz da importância da nossa profissão, mas pouco se reflete sobre as condições em que ela é exercida.

Sim. Temos o papel importante de colocar debates em pauta, contribuir com a democracia e lutar pela liberdade de expressão e pelo direito à comunicação, pois bem sabemos o poder que as palavras e as imagens possuem.

Estamos na linha de frente da informação sobre a pandemia de Covid-19, colocando rostos em números, reportando os impactos da crise sanitária, social e econômica para a população, tornando visíveis aquelas e aqueles que são marginalizados.

Mas em quais condições estamos fazendo isso? Sob quais pressões?

Urge valorizarmos nossa formação crítica, ampliarmos nossa capacidade de questionamento da realidade imposta, entendermos o nosso lugar no mundo, principalmente no mundo do trabalho.

Nós, jornalistas, precisamos nos enxergar enquanto trabalhadores/as, deixar de naturalizar uma série de ataques aos nossos direitos ('ah, faz parte da profissão', 'ah, é a crise do jornalismo). Ao fazê-lo, teremos, inclusive, maior sensibilidade com os direitos dos demais sujeitos da sociedade que reportamos.

Assim como muitos trabalhadores/as, estamos adoecendo, frente a um mundo que multiplicou as formas de comunicar e exigiu de nós acumularmos tudo quanto é função, adaptarmos nosso ritmo, textos, vozes, sem nos dar tempo para inclusive protestar ou mesmo adaptar às transformações e às novas mil facetas da exploração de nossa força trabalho.

Somos também alvos constantes de assédios, racismo, machismo, lgbtfobias, violências físicas e verbais, inclusive por parte do Presidente da República, do achatamento salarial, da terceirização e desvalorização do nosso trabalho e, também, da censura.

Muitas vezes, somos confundidos/as (e até nos confundimos) com os interesses daqueles onde ganhamos o pão. Precisamos também sermos vistas/os como trabalhadoras/es. A serviço de um patrão, de uma empresa. Isso não nos tira a obrigação de fazer nosso trabalho com qualidade e seriedade. Mas, muitas vezes, limita nossa atuação aos interesses da empresa.

É fundamental assumirmos nosso papel enquanto trabalhadores/as e como categoria, para transformamos nossa realidade. Precisamos somar esforços por outra comunicação e por outra sociedade.

Desejamos hoje, e todos os dias, que tenhamos força e consciência para isso! Que sigamos sensíveis e indignados/as perante a barbárie. E que nada nos roube a, tão rara e tão necessária, capacidade de encantamento, de acreditar que outro mundo é possível!

Por vacina para todas e todos, por auxílio emergencial digno durante toda a pandemia, pela quebra da patente das vacinas, por respeito e por direitos, pela abertura imediata do processo de Impeachment de Jair Bolsonaro e pelo fim desse governo que ataca nossas vidas, nossa democracia e, também, nossa profissão.

Feliz dia das /os jornalistas!

Receber notícias

Racismo nas redações: SJPDF e @cojiradf pedem apuração de caso envolvendo jornalista premiada da CNN. -> Direção da… https://t.co/IK2j0Ujw3T
11hreplyretweetfavorite
RT @ficaebc: Aumentam as repercussões internacionais sobre as intenções de @fabiofaria e @jairbolsonaro de privatizar ou extinguir a EBC. L…
11hreplyretweetfavorite

Acesse o Site