banner eleicoes

Notícias
Publicado em Quarta, 04 Setembro 2019 14:44
PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

Por CUT Brasília

No próximo sábado (7), a 25º edição do Grito dos Excluídos tomará as ruas de todo o país. Sob o lema “Este sistema não vale!”, a mobilização − que vem sendo construída há meses − reunirá movimentos sociais, sindical, pastorais e representantes da sociedade civil.

Em Brasília, a concentração para a atividade acontecerá no gramado atrás da Rodoviária do Plano Piloto, a partir das 8h. O espaço contará com rodas de conversas, atividades culturais e diversas ações. Em seguida, às 11h, será realizado um ato político.

Diferente dos anos anteriores, esse ano, o Grito dos Excluídos não descerá em marcha rumo ao Congresso Nacional. No entanto, há a possibilidade de o grupo marchar em sentido oposto, rumo à Torre de TV.

O Grito dos Excluídos é um conjunto de manifestações que ocorre todos os anos, desde 1995, em diversos estados, no decorrer da semana da Independência do Brasil, em 7 de setembro. Os manifestos, que compreendem atos públicos, marchas, seminários, debates e outros, têm o objetivo de dar visibilidade aos excluídos da sociedade, denunciando os dispositivos de exclusão e propondo formas alternativas para se alcançar um ambiente social mais inclusivo.

De acordo com Tobias Pereira, da Consulta Popular − um dos movimento que integra a organização do Grito −, até 7 de setembro, outras atividades serão realizadas com o objetivo de mobilizar a população para o ato. “Vamos realizar atividades em pontos estratégicos das regiões administrativas para que mais pessoas participem dessa importante ação”, disse.

Convocatória

Também com o objetivo de mobilizar a sociedade para o ato, as Frentes Brasil Popular, Povo Sem Medo e o Fórum das Centrais Sindicais lançaram um manifesto convocando os movimentos sociais e populares, os sindicatos e as organizações da juventude para engajarem na construção desse dia de luta nas suas cidades.

Entre outros pontos, o documento destaca que “precisamos ir às ruas defender nossa liberdade de lutar e de nos organizarmos”. “Vamos dar um grito contra aqueles que buscam destruir nossas organizações e criminalizar nossas lideranças”, afirma trecho do texto.

Leia o manifesto completo aqui:

As Frentes Brasil Popular, Povo Sem Medo e o Fórum das Centrais Sindicais vêm a público reforçar a convocatória para o dia de mobilização em 7 de setembro e orientam os movimentos sociais e populares, os sindicatos e as organizações da juventude à engajarem-se na construção desse dia de luta nas suas cidades. Vamos às ruas dar um grito contra a destruição do Brasil!

Iniciamos 2019 com a marca da destruição e da morte provocada pelo crime da Vale em Brumadinho. Nas últimas semanas fomos surpreendidos por uma escalada criminosa das queimadas na região amazônica. São exemplos da ganância de um sistema que coloca o lucro acima da vida e do planeta. Vamos às ruas gritar contra a destruição da vida, da Amazônia e do meio ambiente.

Amargamos uma das mais graves crises econômicas da nossa história. A economia não cresce e os desempregados, os que desistiram de procurar emprego e os ocupados precarizados já somam 28,4 milhões de pessoas. Vamos às ruas gritar contra a destruição dos empregos e do trabalho.

O resultado de um período tão difícil para os brasileiros é a exclusão e a violência. Desde 2014 a desigualdade só cresce. Os jovens, em especial os negros e pobres, são as vítimas preferenciais da violência. Não são mais armas que vão mudar essa realidade. Vamos às ruas gritar contra a desigualdade e a violência.

Frente a esse cenário dramático para a classe trabalhadora, o governo e a maioria do congresso nacional se dedicam a destruição de políticas públicas e de direitos sociais. Assim é com a proposta de reforma da Previdência, o fim do Programa Minha Casa, Minha Vida, com os cortes e destruição das políticas sociais. Vamos às ruas gritar contra a destruição dos direitos.

Os cortes na educação, em todos os níveis e os ataques à ciência, às universidades e a liberdade de ensino, minam a capacidade de o país projetar um futuro melhor. As privatizações, por sua vez, visam entregar instrumentos fundamentais para alavancar o desenvolvimento nacional. Vamos às ruas para que não destruam nosso futuro e nossa soberania.

Também precisamos ir às ruas defender nossa liberdade de lutar e de nos organizarmos, nos movimentos sociais, nas entidades sindicais e estudantis. Vamos dar um grito contra aqueles que buscam destruir nossas organizações e criminalizar nossas lideranças.

Não nos faltam motivos para gritar contra a destruição do Brasil. Vamos defender a democracia, a soberania nacional, a educação pública, o direito ao trabalho, os direitos humanos e sociais, o meio ambiente e a Amazônia. Venha conosco nesse dia 7 de setembro!

Nenhum Direito a Menos!
Esse sistema não vale!
Gritaremos por Direitos, Justiça e Liberdade e Lula livre!

Fórum das Centrais Sindicais
Frente Brasil Popular
Frente Povo Sem Medo

O @SJPDF repudia os ataques de Sérgio Moro à liberdade de expressão e de imprensa. Polícia Federal pediu ao Coaf um… https://t.co/vlACfN326n
A direção da emissora informou que irá fechar as portas no dia 30/6. Os Sindicatos notificaram a empresa solicitand… https://t.co/Gasu9TGFcj

Receber notícias

Acesse o Site