assembleia unificiada

PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

NOTA OFICIAL


A diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) vem a público manifestar apoio à greve nacional dos entregadores de aplicativos. O movimento é legítimo e necessário pelas suas reivindicações de pagamento justo, condições adequadas de trabalho, transparência e medidas de proteção contra a pandemia.

Os entregadores são uma das categorias fundamentais nesta pandemia, assegurando que os demais trabalhadores possam ficar em casa ao permitir o abastecimento com alimentos, bens e serviços necessários às demandas cotidianas. Essa atividade se tornou alternativa de muitos brasileiros que tiveram perda de renda ou de empregos neste momento de crise. Somente esses aspectos já seriam motivos suficientes para dar suporte às suas mobilizações.

Mas a solidariedade é ainda mais importante se considerado que esses entregadores são explorados pelas plataformas, com baixa remuneração. Sofrem sanções e são bloqueados, perdendo o direito de realizar o serviço sem critérios claros e direito à defesa. Elementos básicos do trabalho, como a forma de remuneração e as regras para permanência nos aplicativos, não são sequer conhecidos ou apresentados de forma transparente.

O SJPDF manifesta apoio também pelo fato desta mobilização não dizer respeito apenas aos entregadores. Eles são apenas a face mais visível da plataformização do trabalho que já chegou ao jornalismo. Cada vez mais, as plataformas são responsáveis pela mediação de diferentes tipos de atividades, e de forma altamente precarizada, sem que os trabalhadores possam participar da definição das condições como ocorre em ofícios tradicionais onde há representação sindical estabelecida.

Os trabalhadores de plataforma não são “outros”. São uma categoria que cada vez mais avançará para o jornalismo, como já ocorre com diversos serviços de “freelas” e de tarefas pontuais. Se a terceirização já mostrou seus impactos na perda nas condições e da qualidade do trabalho dos jornalistas, com a ampliação da lógica de plataforma esses prejuízos tendem a aumentar sobremaneira. E cada vez mais, entregadores, motoristas de Uber e prestadores de serviço se verão com lutas em comum contra a precarização apresentada por essas novas relações trabalhistas.

Trabalhadores (as) da EBC PARAM POR 1 DIA contra PCR apresentado pela empresa -> A proposta de Plano de Carreiras e… https://t.co/M3XkY0lMGC
3hreplyretweetfavorite
O momento é grave, pede união e um Sindicato forte! Para quem está inadimplente e quer regularizar, é só efetuar o… https://t.co/5mcjynUBSp
5hreplyretweetfavorite

Receber notícias

Acesse o Site