Notícias
  • Imprimir
Publicado em Quinta, 19 Agosto 2021 16:55
PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

A partir desta segunda-feira (16), já é possível responder ao questionário da pesquisa “Perfil do Jornalista Brasileiro 2021: características sociodemográficas, políticas, de saúde e do trabalho”. Para participar, de forma anônima e gratuita, basta acessar o link: surveymonkey.com/r/perfiljornalista. O público-alvo são jornalistas profissionais que trabalham em três segmentos: mídia, fora da mídia e docência, em todas as regiões do país.

Este é um estudo representativo da categoria, que busca compreender quem são, como trabalham e se organizam os jornalistas brasileiros. A investigação irá atualizar e ampliar levantamento demográfico desenvolvido em 2012, estimando a divisão por gênero, cor-raça, escolaridade, salário, função e outros estratos sociodemográficos. Também analisará as relações entre indicadores políticos – como autoidentificação ideológica e taxa de sindicalização – e vetores como formação superior e registro profissional. Serão verificadas ainda questões ligadas às mudanças na profissão que impactam diretamente o trabalhador, como condições de trabalho e de saúde dos/das jornalistas brasileiros/as.

“Esperamos atingir um número expressivo de jornalistas para que os resultados reflitam a realidade desse campo profissional. A todas e todos que fazem parte dessa categoria, pedimos que participem da pesquisa e também nos ajudem a divulgar esse trabalho”, ressalta Samuel Pantoja Lima, coordenador geral do estudo.

O projeto envolve pesquisadores voluntários de todas as regiões brasileiras e é realizado pela Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade dos Jornalistas (RETIJ), vinculada à Associação Nacional dos Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR). Ela conta com o envolvimento de e está sendo executada pelo Laboratório de Sociologia do Trabalho (Lastro/UFSC). A organização do projeto é feita pelos Programas de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR) e Sociologia e Ciência Política (PPGSP) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A iniciativa conta com o apoio institucional de nove entidades nacionais da área: Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação Profissão Jornalista (APJor), Associação Nacional de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR) e a Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (ABEJ). A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM) também ofereceu apoio na divulgação e mobilização de respondentes ao questionário.

Live de lançamento

Para marcar a segunda edição do estudo será realizada uma live com a participação das entidades que apoiam a pesquisa. A transmissão será a partir das 19h, no Canal do Laboratório de Sociologia do Trabalho (Lastro/UFSC – bit.ly/2XqG8xw).

O evento vai debater a relevância desse tipo de estudo para a defesa e fortalecimento do jornalismo e da profissão.Para isso irá contar com a participação de representantes das entidades parceiras da pesquisa: Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação Profissão Jornalista (APJor), Associação Nacional de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR), Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (ABEJ) e Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ).

O debate terá ainda a participação do coordenador da Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade dos Jornalistas (RETIJ/SBPJOR), Edgard Patrício. A mediação será feita pelo coordenador geral da pesquisa, Samuel Pantoja Lima, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).