PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

Os trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que resistiram durante o governo Bolsonaro, vão receber, nesta terça-feira (25), o Prêmio Especial Vladimir Herzog de Contribuição ao Jornalismo, que é considerado uma das mais significativas distinções jornalísticas do país.

Trata-se de um reconhecimento pela atuação de jornalistas e radialistas da empresa em defesa da comunicação pública, contra os ataques promovidos nos últimos anos — como a censura e a ingerência nos conteúdos da EBC, além da prática reiterada de assédio moral e de perseguição aos empregados. O prêmio também valoriza a atuação de trabalhadores e sindicatos para que a empresa não deixasse de cumprir com sua missão constitucional de fazer uma comunicação diversa e democrática, voltada ao interesse da população.

Contexto
A EBC é a empresa pública federal responsável por manter a rede pública de comunicação — que abrange a TV Brasil, as emissoras da Rádio Nacional e da Rádio MEC, a Agência Brasil e a Radioagência Nacional.

Desde o início do governo Bolsonaro, em 2019, os funcionários, a comissão de empregados e os sindicatos de trabalhadores da EBC registraram pelo menos 537 episódios de censura, governismo e pautas irrelevantes nos veículos da empresa. Todos esses casos estão detalhados nas quatro edições do Dossiê de Censura e Governismo na EBC.

Os trabalhadores que denunciam essas práticas são alvos constantes de perseguição e punições injustas. Inclusive, a representante dos empregados no Conselho de Administração da EBC, Kariane Costa, jornalista concursada da empresa, está prestes a ser demitida após ter denunciado casos internos de assédio moral.

Outro ataque recente para distorcer o caráter público da empresa foi a fusão da TV Brasil com a emissora do governo, a TV NBR. Tal manobra permitiu uma presença ainda maior dos conteúdos favoráveis ao Planalto nos canais que deveriam ser pautados pelo interesse público.

Além disso, ao longo da maior parte dos últimos anos, a EBC esteve ameaçada de privatização ou extinção. Ela foi incluída pelo Ministério da Economia no PPI, o Programa de Parcerias de Investimentos — que, na prática, é responsável por planejar a desestatização de empresas públicas do país. A promessa de acabar com a EBC esteve presente nos discursos do atual presidente desde a campanha eleitoral de 2018.

Por todos esses motivos, a entrega do Prêmio Especial Vladimir Herzog de Contribuição ao Jornalismo aos radialistas e aos jornalistas da EBC que resistiram nos últimos anos tem uma importância histórica. 

Os trabalhadores vão receber a homenagem na cerimônia do 44º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, que transmitida ao vivo pela TV PUC e pelo CanaI Universitário de São Paulo. Na ocasião, a comissão organizadora também vai premiar os trabalhos de Jornalismo vencedores em sete categorias: Artes (ilustrações, charges, cartuns, caricaturas e quadrinhos), Fotografia, Texto, Vídeo, Áudio, Multimídia e Livro-reportagem.

Ao todo, 528 produções jornalísticas foram inscritas para concorrer ao prêmio.

Serviço
44º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos

Quando: 25 de outubro (terça-feira)

Horário: 20h

Onde: Teatro Tucarena — Rua Monte Alegre 1024, São Paulo (SP).

A cerimônia será transmitida ao vivo pela TV PUC e pelo CanaI Universitário de São Paulo.

Receber notícias

Desde sua dispensa, a entidade tem atuado em todas as frentes legais para que Klaus seja punido pelos crimes cometi… https://t.co/5kny7XLaEP
O SJPDF esclarece que dispensou os serviços do advogado em razão de práticas incompatíveis com a dignidade da profi… https://t.co/C67XEXM4FM

Acesse o Site