Notícias
Publicado em Sexta, 07 Abril 2017 14:52
PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

A diretoria dos Sindicatos dos Jornalistas do DF parabeniza toda a categoria pela data de hoje, 7/4, Dia do Jornalista. Nos últimos anos, a entidade tem celebrado esta data, sempre dialogando sobre a realidade do setor de jornalismo com a situação política e econômica do país. O Sindicato também tem aproveitado a data para reafirmar as bandeiras de luta da categoria e a importância da garantia dos nossos direitos e da liberdade de expressão, bem como do bom jornalismo para a sociedade.

Neste ano, mais do que comentar sobre os problemas pontuais dos jornalistas, o SJPDF chama a atenção para o desmonte proposto pelo governo ilegítimo de Michel Temer. Isso porque todas as reformas apresentadas pelo Executivo retiram, sem precedência,  um conjunto de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros sem precedência. E irão afetar todos os setores da sociedade, incluindo os jornalistas.

Sob a justificativa de ajuste fiscal, Temer congelou os gastos públicos por 20 anos. Além de atacar as políticas sociais, o governo investe na aprovação das reformas trabalhista e da Previdência, propostas rígidas que colocam em primeiro plano os interesses dos empresários e penaliza a classe trabalhadora, visto que um número enorme de direitos já conquistados será afetado se essas propostas forem aprovadas pelo Congresso Nacional.

Vale ressaltar que a lei da terceirização sancionada por Temer na última sexta-feira, 31/3, regulariza a terceirização em todas as áreas da empresa e diminui a proteção dos trabalhadores. A legislação, além disso, legitima também a quarteirização e a “pejotização”, prática que é considerada pela Justiça do Trabalho uma fraude. Para se ter ideia, a lei irá possibilitar, por exemplo, que uma empresa de comunicação possa funcionar sem contratar um jornalista. Ela também irá promover uma rotatividade de profissionais nas redações e assessorias de comunicação sem limite, o que comprometerá a qualidade do serviço e precarizará ainda mais o setor.

Ano após ano, o Sindicato pontua para a categoria a sua realidade e destaca os problemas vivenciados pelos jornalistas como: o grande número de violência e desrespeito aos profissionais, o aumento das demissões, a falta de condições de trabalho, o assédio moral e sexual dentro das redações e das assessorias, os problemas de saúde que acometem os jornalistas por conta do estresse da profissão, entre outros.

No entanto, neste Dia 7 de Abril de 2017, a entidade convoca os jornalistas para celebrarem a data, mas também para unir forças contra os retrocessos impostos pelo governo de Michel Temer. Agora não se trata somente de uma crise econômica, esta que os empresários do setor da comunicação têm utilizado como justificativa para os agravantes da área. O país passa por crises de identidade e ética, que abalam as estruturas democráticas conquistadas por meio de muita luta da sociedade. E, no caso dos jornalistas, poderá trazer prejuízos tanto nas condições de trabalho atual, que já são muito ruins, quanto na interferência da liberdade que temos para executar nossas tarefas, com a responsabilidade social que deve ter o jornalismo. Este ano, mais do que todos os outros, é um ano que deve ser marcado pela união da nossa categoria. 

Diretoria do Sindicato dos Jornalistas do DF

Encontro nacional discutirá liberdade de expressão e direito à comunicação. https://t.co/StedCaFbTA https://t.co/hm00K0N8QS
Mídia vandaliza cobertura de ato e legitima uso de Exército por Temer.(Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)… https://t.co/eyMEAWCUmc

Acesse o Site