Notícias
Publicado em Terça, 10 Abril 2018 15:16
PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

Mais uma vez, o gerente-executivo da Agência Brasil, Alberto Coura, usa o e-mail corporativo da empresa para desferir ataques e ofensas a profissionais subordinados a ele. Desta vez, de forma leviana e inapropriada, Alberto Coura agrediu publicamente a repórter Isabela Vieira pelo simples fato de a profissional ter questionado a qualidade do último Boletim da Ouvidoria.

Em tom de desprezo à opiniões contrárias, o gerente-executivo tentou desqualificar a trajetória de mais de dez anos da profissional reconhecida por sua competência técnica dentro e fora da EBC e se pôs a humilhá-la em e-mail endereçado a todos os profissionais do setor.

Indicação do Diretor de Jornalismo, Lourival Macedo, Alberto Coura tem marcado sua gestão à frente da Agência Brasil pelo autoritarismo, pela falta de diálogo e por episódios como esses, de ataques e perseguições a profissionais do setor e a lideranças dos trabalhadores. Importante destacar que Isabela Vieira é também representante dos trabalhadores no Conselho de Administração e tem feito questionamentos importantes à Diretoria de Jornalismo, como forma de elevar a qualidade do setor.

Já o gerente Alberto Coura tem pautado sua atuação no cargo pelo proselitismo político e pelo desrespeito às normais de jornalismo da EBC. Partiu dele a ordem para que a Agência Brasil publicasse menos matérias sobre o brutal assassinato da vereadora Marielle Franco, por considerar o tema “repetitivo” e “cansativo”, além de censurar reportagens sobre a intervenção federal.

O cenário de assédio moral é sistêmico na EBC e causa prejuízo aos cofres públicos, com ações na Justiça e licenças médicas. Rebaixam mais ainda a gestão do jornalista Laerte Rímoli, presidente da EBC, atolado de denúncias. Há poucas semanas, veio a público um assessor de Rímoli, o único entre os mais 2 mil empregados da EBC, com autorização para “trabalhar de casa”. A gestão age com autoritarismo ao mesmo tempo em que beneficia amigos nos cargos mais altos com “condições especiais”.

Diante disso, e em solidariedade à Isabela Vieira e a todos os empregados lotados na Agência Brasil, a Comissão de Empregados e os sindicatos dos jornalistas Distrito Federal, do Rio de Janeiro e de São Paulo consideram a manutenção de Alberto Coura no cargo uma afronta e uma demonstração de total falta de compromisso da direção da EBC com um ambiente de trabalho harmônico e de bem-estar dos empregados. A permanência dele é uma afronta também ao Código de Ética da própria empresa e demais normas internas.

Comissão de Empregados da EBC
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio de Janeiro
Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo
Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro
Representação dos Trabalhadores no Conselho de Administração da EBC
Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj)

Nesta quinta, 13/12, completamos 50 anos do AI-5. Para marcar esta data, o Sindicato dos Jornalistas do DF realiza… https://t.co/i5SoJ5x7Ac
3hreplyretweetfavorite
A categoria irá protestar contra o descaso da direção da EBC, que desde 23/11 protela uma resposta sobre a contrapr… https://t.co/tuANqBYQxi
19hreplyretweetfavorite

Receber notícias

Acesse o Site