banner sindi 55

PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

O Sindicato dos Jornalistas do DF proferiu, na última quarta-feira (30), palestras para os alunos do 3º Semestre de Jornalismo da Faculdade IESB. Convidadas pela professora de Ética no Jornalismo, Luciane Agnez, as coordenadores Renata Maffezoli e Leonor Costa apresentaram aos alunos os temas abordados na campanha “Assessor de Imprensa é Jornalista”, desenvolvida pelo SJPDF desde 2104. As palestras foram realizadas para os alunos dos turnos matutino e noturno.

As dirigentes apresentaram aos alunos as quatro fases da campanha, que teve início com a primeira abordando a jornada de trabalho específica para jornalista.  A segunda fase tratou dos problemas das variadas formas de contratação dos jornalistas que trabalham em assessoria, a terceira do acúmulo de função e a quarta (em andamento) do cumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho firmada com o Sinterj (Sindicato das Empresas de Televisões, Rádios, Revistas e Jornais do DF) pelas agências de assessoria de comunicação. As coordenadoras também explicaram as ações desenvolvidas pelo Sindicato como desdobramentos da campanha.

Para o SJPDF, participar de atividades como essa com estudantes de Jornalismo é fundamental para que os futuros profissionais tenham conhecimento da realidade da categoria, dos principais problemas enfrentados nos locais de trabalho e também das ações desenvolvidas pelo Sindicato e as consequentes conquistas.

“Considero que foi muito importante e positivo levar a campanha Assessor de Imprensa é Jornalista para os estudantes, para que eles possam ter uma noção mais ampla das diferentes áreas de atuação em Jornalismo e também dos direitos que temos enquanto trabalhadores”, destaca Renata Maffezoli.

Leonor Costa reforça o entendimento da colega: “O Sindicato sempre teve a preocupação de se aproximar dos estudantes, considerando que o diálogo sobre a realidade profissional pode contribuir, também, com a formação”.

A professora Luciane Agnez avalia que o processo de formação profissional passa por alguns caminhos, sendo um deles a compreensão da importância da organização entre os trabalhadores, no caso os jornalistas. Por isso, ela destacou a necessidade de atividades como essas junto aos estudantes.

“Nós passamos essa compreensão para os estudantes, porque é algo que faz parte da formação, com o entendimento de que o sindicato oferece uma complementação. Não só pelos cursos que oferece, mas também nas discussões voltadas ao mercado de trabalho. Tanto na defesa dos direitos, como na defesa dos deveres, passando pelo debate do novo papel do jornalista nesse mercado. É uma ponte fundamental. Se queremos pensar no futuro da profissão, não há futuro sem a associação entre os pares”.

Os dados mostram a degradação do mercado de trabalho, expressa na redução em 9,7% do emprego com carteira assinada… https://t.co/frcLhhM6ee
8hreplyretweetfavorite
A professora Sheila Rodrigues, da Universidade Estácio, abriu espaço para discussão sobre os principais problemas e… https://t.co/3IIRq3WD6l
23hreplyretweetfavorite

Receber notícias

Acesse o Site