Notícias
Publicado em Terça, 20 Novembro 2018 19:55
PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

Viva Zumbi!

Nada mais pertinente do que refletir sobre o papel do jornalismo neste 20 de novembro, data que celebra a memória de Zumbi dos Palmares em todo país.

O jornalismo que vem sendo testado há décadas por causa do surgimento de novas modalidades tecnológicas e mais recentemente pelo fenômeno conceituado como de a pós-verdade permanece um pilar das democracias, dos valores republicanos e instrumento privilegiado para amplificar vozes negras, temas libertários e causas sociais.

A demanda da população negra no nosso país tem uma dimensão continental e de importância inequívoca. É sempre bom retomar os dados de que o nosso país conta com a segunda maior população negra do planeta, superada apenas por um dos tantos países do continente africano – a Nigéria.

Perante um contexto de questionamento de setores conservadores a respeito de pautas caras à causa da igualdade racial, combate ao racismo e respeito religioso, direitos de povos indígenas e comunidades quilombolas, os sindicatos dos jornalistas, as comissões de mulheres e pela igualdade racial precisam permanecer convictas do papel que têm vocação a desempenhar.

A demanda da preservação da juventude negra que enfrenta estatísticas alarmantes de assassinatos, a escalada do encarceramento que tem números assombrosos, os discursos de ódio que tem sido direcionado às mulheres, aos direitos das comunidades quilombolas e de modo mais amplo o ataque a opção pelas causas identitárias merecem o alerta das pessoas e organizações que se pretendem progressistas.

Na última campanha eleitoral os debates sobre a questão racial foram tratados muitas vezes de forma tímida até mesmo com ar de constrangimento e em outros casos sob argumentos intencionalmente distorcidos.

Jornalistas pela igualdade racial podem exercitar a missão de não permitir que essas causas do ponto de vista da opinião pública desabem para o espaço do lugar-comum, sobretudo, na perspectiva de barrar avanços.

Logo, neste 20 de novembro fica o clamor de não permitirmos que jornalismo e a consciência negra esmoreçam num momento em que a nação mais necessita de nossas vozes.

Viva Zumbi, a liberdade de imprensa e a luta pela igualdade racial.

Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial - Cojira
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do DF - SJPDF
Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF

Nesta quinta, 13/12, completamos 50 anos do AI-5. Para marcar esta data, o Sindicato dos Jornalistas do DF realiza… https://t.co/i5SoJ5x7Ac
3hreplyretweetfavorite
A categoria irá protestar contra o descaso da direção da EBC, que desde 23/11 protela uma resposta sobre a contrapr… https://t.co/tuANqBYQxi
19hreplyretweetfavorite

Receber notícias

Acesse o Site