bannertopsindicalizacao

PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

Uma pesquisa desenvolvida pelo Coletivo de Mulheres Jornalistas do Distrito Federal sobre o assédio sexual sofrido por jornalistas no ambiente de trabalho já tem uma prévia dos resultados. De acordo com as mulheres que participaram do levantamento, 74,3% das profissionais já sofreram assédio sexual em algum momento da atividade profissional.

Dessas mulheres, 73% foram assediadas por um superior (chefe, editor, dirigente, etc). Já 44,3% foram assediadas por um colega de trabalho; e 32,2% por algum entrevistado. Várias jornalistas apontaram ter vivenciado mais de uma situação de assédio sexual durante o exercício da profissão.

O levantamento visa ampliar a conscientização sobre as diferentes formas de assédio sexual no espaço de trabalho e combater essa prática, muitas vezes naturalizada. Embora a pesquisa foque as profissionais que trabalham no Distrito Federal, o formulário foi respondido também por jornalistas de outros estados. Participaram do levantamento 148 jornalistas.

O resultado detalhado da pesquisa será divulgado em evento do Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF que será realizado no dia 23 de março, para marcar o Dia Internacional de Luta das Mulheres, comemorado nesta sexta-feira 8 de março.

Vamos conversar sobre assédio sexual no trabalho? Nesta quinta-feira, 28, o Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF… https://t.co/a3rSXOfqLl
2hreplyretweetfavorite
O TRT concedeu tutela antecipada de urgência obrigando a empresa pública de efetuar o desconto das mensalidades aut… https://t.co/LkbUjskz6m

Receber notícias

Acesse o Site