PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

Com o atraso insistente e acumulado no pagamento de férias e benefícios, os jornalistas do Correio Braziliense ratificaram indicativo de greve para garantir o pagamento em dia dos salários de setembro, que vence na próxima sexta-feira (4/10). Reunidos em assembleia na terça-feira (1/10), os jornalistas aprovaram ainda uma agenda a ser levada à direção da empresa para o início da regularização dos atrasados, acompanhada pelo indicativo de paralisação em caso de não atendimento da reivindicação.

A mobilização no Correio se mantém nos últimos anos para exigir o cumprimento de artigos das Convenções Coletivas, como o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), repetidamente atrasada. Desde o início do ano, agravou-se em especial a situação com o vale-refeição, que acumula cinco meses sem o depósito dos créditos. Reunida com a direção antes da assembleia, a Comissão de Redação e o Sindicato dos Jornalistas não obtiveram uma previsão para a regularização do benefício, bem como para o pagamento do adicional de férias, que é devido para os colegas que gozaram o período — compulsoriamente — desde fevereiro passado.

Em nova assembleia, marcada para a próxima terça (8/10), a redação avaliará a situação dos salários e a resposta da empresa à reivindicação de que sejam depositados até 17/10 ao menos dois meses de vale-refeição, e até 31/10 sejam pagas as férias aos que saíram em fevereiro e março. Por unanimidade, os jornalistas reunidos aprovaram a paralisação caso não sejam cumpridos os prazos comunicados à empresa.

 

 

Nota do SJPDF sobre as declarações do ex-presidente Lula: Crítica, sim. Ataque, não! https://t.co/j4y0Bw1Dcc
12hreplyretweetfavorite
#Convite Na pauta, planejamento de ações, 8 de março e parceria com as universidades. https://t.co/io3e274z16

Receber notícias

Acesse o Site