Notícias
Publicado em Quinta, 17 Janeiro 2013 17:28
PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

 

 

603249 348396728608309 368011303 nNa manhã de hoje, (9), a direção do Grupo Comunidade informou ao SJPDF que regularizou a situação de atrasos de cerca de 50 jornalistas da empresa. Segundo documentos enviados à entidade, todos os funcionários receberam os salários referentes ao mês de dezembro na terça-feira (8), quinto dia útil do mês.

Além de verificar os documentos, o Sindicato também entrou em contato com alguns jornalistas para confirmar a informação, visto que a situação de atrasos salariais dos profissionais perdurava durante os últimos cinco meses. Os funcionários consultados admitiram ter recebido os pagamentos.

Para Lincoln Macário, secretário-geral do SJPDF, a regularização da situação dos trabalhadores é fruto da pressão feita pelo sindicato e funcionários do Sindicato junto à empresa. "Foram meses duros. Tivemos que entrar com duas ações judiciais e fazer diversas reuniões com a direção. Mas o Grupo agora afirma que está em condições de regularizar o salário dos seus trabalhadores", afirma.

Nestes cinco meses, além de atrasos nos salários, houve irregularidade no pagamento do vale-refeição e problemas com o plano de saúde. Durante a crise, os funcionários também sofreram assédio moral.

"O SJPDF segue acompanhando o desfecho da regularização dos salários e já cobrou o Grupo em relação a outras denúncias que recebeu, em especial a correção do problema da pejotização de parte dos funcionários e a contratação de grande número de estagiários", diz Jonas Valente, secretário-geral da entidade.


Desbloqueio da Ação

No dia 02 de janeiro, o presidente do Grupo, Ronaldo Junqueira, informou que realizou todos os pagamentos atrasados do ano passado, além de ter garantido as parcelas do 13ª salário. Junqueira também solicitou ao Sindicato o pedido junto à Justiça do Trabalho da liberação dos recursos bloqueados em razão de uma das ações do SJPDF.

Ele solicitou a petição por considerar que o bloqueio perde objeto uma vez que a situação salarial dos trabalhadores da empresa esteja regularizada. No entanto, ainda não houve decisão da Justiça em relação ao pedido.

Receber notícias

A PEC 32 não é só uma 'granada no bolso do servidor', é uma bomba atômica contra o Brasil #PEC32ContraoBrasil https://t.co/SkS7G4nh7H
6hreplyretweetfavorite
A reforma Administrativa não reduz a despesa pública, não diminui impostos nem taxas públicas, ela apenas facilita… https://t.co/LIu5hmCcNw
6hreplyretweetfavorite

Acesse o Site