bannertopsindicalizacao

Notícias
Publicado em Sexta, 28 Junho 2019 18:22
PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

No último dia 26/6, o Sindicato das Empresas de Televisão, Rádios, Revistas e Jornais do DF apresentou uma nova proposta para avaliação dos jornalistas de Convenção Coletiva de Trabalho. Infelizmente, o texto apresentado pelo sindicato patronal ainda está aquém do que o SJPDF entende como aceitável. O Sindicato convoca os jornalistas para nova assembleia para avaliar a proposta patronal, podendo discutir uma nova contraproposta, no próximo dia 4/7, quinta-feira, às 19h30 horas em primeira chamada e 20h em segunda.

O Sindicato dos Jornalistas do DF apresentou a última proposta da categoria no dia 6/5 e desde 22/5 vem negociando com os patrões. Na nova proposta, as empresas acabaram cedendo em parte das “maldades” colocadas na mesa de negociação, mas continuam inflexíveis em questões importantes para os jornalistas.

assembleia47

A proposta patronal apresentada no dia 26/6 prevê:

- Reajuste de 3% sobre os salários na assinatura do acordo, sendo o pagamento retroativo em 3 parcelas (jul/ago/set);
- Reajuste complementar no salário de 1,67% a ser pago em dezembro/19 sem retroativo;
- Reajuste do piso salarial de 4,67% na assinatura do acordo, sendo o pagamento retroativo realizado em 3 parcelas;
- PPR/Abono: 35% do salário-base com piso de R$825,00 e
teto de R$950,00, pagos em parcela única até 31/11/19;
- Fim do limite de compensação de horas extras de 30 horas por mês;
- Reajuste no auxílio alimentação para R$ 320,00 (6,66%) a partir do mês de dezembro/19 sem retroativo;
- Reajuste no auxílio creche para R$480,00 (4,347%);
- Reajuste no seguro de vida de 4,67%.

Avaliação da proposta

A assembleia dos jornalistas, no dia 10/5, havia apresentado uma proposta de reajuste de 5,5% nos salários e no piso, um reajuste de R$ 550,00 no auxílio creche e de R$ 360,00 no auxílio alimentação. Para o PPR/Abono, os jornalistas pediram um piso de R$2200,00 e um teto de R$2600,00.

A avaliação da diretoria do SJPDF é que o parcelamento do reajuste salarial inflacionário, sem retroativo, é prejudicial para a categoria. Além disso, os valores apresentados para o PPR/Abono foram muito baixos, cerca de metade dos valores de 2018. O Sindicato também avalia que a proposta de fim do limite de compensação de horas extras fará com que as empresas nunca mais paguem horas extras aos jornalistas.

Patrões ignoraram novas cláusulas sociais dos jornalistas

O Sindicato Patronal também não acatou nenhuma das cláusulas sociais novas apresentadas pelos jornalistas. Entre elas, está a reivindicação da licença maternidade de seis meses e de paternidade de 30 dias, além de propostas para garantia do emprego dos jornalistas, de combate aos assédios moral e sexual, machismo, racismo, lgbtfobia e abusos de poder e uma cláusula com multa de descumprimento do acordo, além de uma nova redação para cláusula assistencial conforme orientação do Tribunal Superior do Trabalho.

O @SJPDF repudia os ataques de Sérgio Moro à liberdade de expressão e de imprensa. Polícia Federal pediu ao Coaf um… https://t.co/vlACfN326n
A direção da emissora informou que irá fechar as portas no dia 30/6. Os Sindicatos notificaram a empresa solicitand… https://t.co/Gasu9TGFcj

Receber notícias

Acesse o Site