PLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMITPLG_ITPSOCIALBUTTONS_SUBMIT

Em assembleia ocorrida na última quarta, 25/3, os jornalistas decidiram por rejeitar a proposta patronal para a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) apresentada na última reunião de negociação. O Sindicato das Empresas de Rádio, TV e Jornais negou todas as propostas apresentados pelos trabalhadores, apresentou um reajuste abaixo da inflação e ainda prôpos a retirada de direitos (veja aqui). 

A avaliação das jornalistas é que a primeira reunião de negociação foi bastante ruim. A assembleia decidiu cobrar das empresas retorno para todas as cláusulas apresentadas pelos trabalhadores. A próxima reunião de negociação será nesta terça, 03/4, às 12h.

Para propiciar a negociação, os trabalhadores apresentaram uma mudança na proposta da cláusula da Participação do Lucro e Resultados (PLR) e no abono (esse válido para empresas sem fins lucrativos). A proposta reduziu o teto do PLR para R$2700,00, podendo ser dividido em duas parcelas: uma na assinatura da CCT e outra até 31 de julho de 2018.

Para Wanderley Possebom, coordenador do SJPDF, a mesa de negociação tem muito que progredir. "Os jornalistas apresentaram uma pauta somente com a reposição salarial dos últimos anos e com benefícios sociais que causam baixíssimo impacto nas folha de pagamento. Precisamos avançar", afirma.

Agora ao vivo o Seminário "Jornalistas, liberdade de expressão e o futuro do país" https://t.co/PqSX5lYvtr
22hreplyretweetfavorite
O SJPDF pede serenidade à população e proteção aos jornalistas pelas forças de segurança. Foto: Marcelo Camargo/ABr https://t.co/NeKlIaHIUy

Receber notícias

Acesse o Site